Para afrouxar as rédeas das pequenas e médias empresas (PMEs), a União Europeia (UE) em conjunto com o Parlamento Europeu chegaram a um acordo para que não se burocratizem e consigam investidores, segundo o site Investing.

Até agora e desde 2003, todas as sociedades devem ter uma emissão de valores mobiliários e uma brochura de oferta, documento legal através do qual os potenciais investidores podem ter conhecimento da actividade da empresa, bem como da sua situação financeira e participação no mercado.

Desta forma, potenciais investidores podem analisar se desejam investir seu capital neles, assim como as PMEs podem optar por mais e melhores alianças, além de propostas de crowdfunding (arrecadação coletiva de dinheiro para financiamento).

Receba seu dinheiro de volta - nós ajudamos você

Em 2009, foi efectuada a última revisão deste regulamento, que continua em vigor; no entanto, a UE fez a sua parte num acordo preliminar para atualizá-lo, que visa simplificá-lo e torná-lo mais eficaz. Procura também reduzir as barreiras administrativas para as empresas, especialmente as PME, para que possam aceder mais facilmente ao mercado de capitais na Europa.

O conteúdo da reforma

União Europeia participa de acordo para simplificar os requisitos das PME
União Europeia participa de acordo para simplificar os requisitos das PME

Devido às dificuldades que as pequenas e médias empresas podem encontrar na publicação das suas brochuras (principalmente devido aos seus custos), o novo regulamento apoiará a revogação deste requisito. Desta forma, as PME não serão obrigadas a fazê-lo para obtenção de capital, quando se trate de contribuições até um milhão de euros.

Além disso, o montante com que a publicação da brochura será obrigatória passará de cinco para oito milhões de euros, libertando muitas empresas da burocracia envolvida e podendo também receber o mesmo tratamento e reger-se pelos mesmos regulamentos que a regulam. para empresas em crescimento.

Brochura de crescimento da UE

Este nome fará referência ao novo documento, com o qual PME e empresas de média capitalização (menos de 500 trabalhadores) poderão contar para a sua regulamentação. Assim, será criado também um registo de “edições frequentes” com o qual se pretende reduzir o período de aprovação das brochuras.

União Europeia participa de acordo para simplificar os requisitos das PME

Por sua vez, uma base de dados gratuita será desenhada e gerida (pela Autoridade Europeia de Valores Mobiliários e Mercados) para armazenar e publicar as brochuras online, eliminando quase completamente o formato físico (a menos que o potencial investidor o exija). Essa medida visa tornar os folhetos muito mais curtos, concisos e claros de entender. Foi também anunciado que estas brochuras estarão disponíveis para as PME que atinjam um mínimo de 100.000 euros, e o seu texto deverá ser aceite pelo Parlamento Europeu e parceiros comunitários.

Espera-se que, graças a essa reforma, os investidores tenham acesso a informações claras e discretas. Dessa forma, eles poderão tomar decisões melhores e corretas para seus investimentos. Além disso, será um grande impulso para as pequenas e médias empresas, permitindo-lhes optar por oportunidades transfronteiriças, o que é uma vantagem para a Europa.

Receba seu dinheiro de volta - nós ajudamos você

Anuncie conosco

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *