Nano: tudo que você precisa saber




Anuncie conosco

Algo que todos nós temos claro, não apenas no ambiente de criptomoedas, é que a inovação deve ser constante e sólida. No Nano, encontramos um estudo de caso impressionante de como a inovação e a reinvenção podem reviver projetos.

E é assim quantos casos de empresas podemos encontrar que pereceram por não se inovarem e se reinventarem quando o mercado pede. Aqui vamos falar sobre essa criptomoeda, antes conhecida como Raiblocks, que veio com uma oferta diferente, nova e renovada, que parece representar um antes e um depois para essa moeda.

▶ O que é Nano?

Podemos definir Nano como uma criptomoeda de baixa latência que opera em um esquema descentralizado. Sua base é encontrada na tecnologia Blockchain, só que incorpora um novo tipo de arquitetura conhecido como Block Lattice. Essa tecnologia permite que cada carteira tenha seu próprio blockchain.

Seu nascimento se encontra na tentativa de resolver problemas do Blockchain tradicional como o usado pelo Bitcoin. Os longos tempos de espera, a lentidão das transações, bem como o tamanho reduzido dos blocos foram os principais pontos a serem resolvidos.

Nano

▶ Diferenças de Nano vs Bitcoin

  • Blocos individuais: Uma das principais melhorias que podemos encontrar no Nano Blockchain é o fato de que aqui cada bloco é uma transação individual. Esta é uma grande vantagem, pois cada bloco pode ser processado de forma independente e não em conjunto como acontece no Bitcoin.
  • Velocidade de processamento: Por ser capaz de processar os blocos individualmente e não ter que esperar a formação de um bloco, o tempo ou a velocidade de processamento das transações torna-se maior. Isso aumenta a eficiência e reduz o tempo de espera.
  • Transações validadas automaticamente: Blockchains tradicionais requerem um usuário, ou grupo de usuários, por trás para a validação das transações. No entanto, no Nano a validação é feita automaticamente quando o PoW é pré-carregado como um pré-cache que está disposto no receptor e no transmissor.
  • Mecanismo de votação: Para evitar a centralização de poderes como acontece com o algoritmo PoW, o Nano incorporou o algoritmo de Prova de aposta delegada. Isso permite que os usuários votem caso detectem movimentos fraudulentos ou informações não confiáveis.
  • Baixo consumo de energia: Devido à falta de mineração, bem como à aprovação automática de transações e à utilização de blocos individuais e não de um conjunto, a eficiência energética desta moeda é superior à de outras moedas virtuais. Isso reduz os custos econômicos e ambientais de operação.
  • Livro de contabilidade: Uma das bases de criptomoedas como o Bitcoin é a criação de um livro-razão virtual generalizado que é a força vital do Blockchain. No caso do Nano, isso não é necessário, pois cada Wallet é um livro em si que mantém seu próprio equilíbrio e conta.
  • Quantidade de moedas: Outra diferença considerável é encontrada na quantidade de moedas disponíveis para cada moeda virtual. A Litecoin, por exemplo, possui 84 ​​milhões, enquanto a Bitcoin mal ultrapassa os 21 milhões. Em vez disso, o Nano já opera com cerca de 133 milhões de tokens, o que o torna uma das maiores moedas em moedas.
  • Minado: Finalmente, Você deve saber que Nano não pode ser minerado, já que seu mecanismo de validação automática, bem como seu Blockchain o impedem. Isso significa que não podemos obter moedas por meio de recompensas pela validação de blocos da cadeia.

▶ Tecnologia por trás do Nano

Embora a tecnologia por trás dessa criptomoeda possa parecer complexa, na realidade não é tão complexa. Aqui, um tipo diferente de Blockchain é operado, chamado Block Lattice. A peculiaridade desse sistema é que cada usuário possui seu próprio Blockchain, que é denominado Account Chain.

Isso mesmo, cada uma das carteiras opera sua própria cadeia de blocos que só ela pode manipular, além de ter uma cópia visível do domínio público para a rede. Desta forma, cada uma das cadeias pode ser atualizada sem estar em sincronia com outra, uma vez que operam de forma independente.

 

Outra grande vantagem é que, apesar de cada usuário ter sua própria corrente, ela acaba sendo muito leve. Desta forma, o processamento acaba sendo muito mais rápido, quase não requer recursos e seu custo passa a ser zero.. Isso torna o Nano uma criptomoeda muito mais barata.

Para eliminar problemas de tamanho de bloco, O Nano incorpora um pacote de protocolos conhecido como UDP ou unidade de protocolo de computador para trocar datagramas sem o estabelecimento prévio de qualquer conexão entre dois sistemas. Assim, o Nano torna a operação do Block Lattice superior ao Block Chain.

Nano

 

▶ Mineração

Você deve saber que atualmente todas as moedas Nano disponíveis no mercado foram lançadas, portanto, a mineração não é possível. É importante levar isso em consideração, pois há usuários que enganam os outros dizendo que exploram o Monero.

Na verdade, não é o caso, já que o mais comum, quando se fala em mineração, é que esses Pools podem, na verdade, estar minerando outras moedas como o Monero. Depois, eles trocam essas moedas por Nano e é assim que te pagam. Embora não seja ilegal, é enganoso.

▶ Como posso obter Nanos?

Para obter o Nano existem apenas duas opções, a primeira é muito simples e é comprar as mãos diretamente no Exchange. Hoje, as principais corretoras já oferecem essa criptomoeda que tem como par mais comum Bitcoin e Ethereum.. Isso torna a compra muito mais fácil.

Outra opção é comprá-lo ou trocá-lo diretamente com uma pessoa física. Embora este formulário seja válido, não é o mais recomendado, especialmente por questões de segurança e confiança. Lembre-se que a mineração direta de Nano não é possível, pois todas as moedas já foram liberadas.

Anuncie conosco

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *